quarta-feira, 1 de abril de 2009

25 comentários:

rosa disse...

resumo:

o desenho da senhora tua avó de pernas para cima está muito giro, quase consigo imagina-la.

o blog está tao musical que tenho que me por a pau.

este penteado é a minha perdição, andei anos e anos de cabelo curtinho a tentar explicar ás senhoras cebeleireiras que queria a franja bem curtinha e o resto não necessáriamente do mesmo tamanho. árdua tarefa.

linda, a música, a letra e ela.

águas de março que fecham o inverno. nosso.

observatory disse...

:)

Arabica disse...

nock nock...


está alguém em casa?


:)

ze disse...

Rosa,

Então afinal como o é que a minha avó fica gira?
De pernas pra cima ou pra baixo? Decide-te!
Mau!...

Sem nenhuma técnica, mas sim o desenho tá bom.
Se tu consegues imaginá-la, imagina eu.
Está mesmo a olhar para mim, pronta a tornar-se severa ao primeiro deslize, ao primeiro sinal de que eu me possa atrasar um minuto que seja.
E está a resultar a sua presença!
Bem ou mal, lá tenho feito os trabalhos de casa.

O blogue tem mesmo é que estar musical,
Se não eu nem cá ponho os pés.
E com muitas musicas disponíveis logo na página inicial.
Agora,
Para competir contigo tinha comer muito queijo ou milho ou lá o que é que eu nem sei.
Mas por outro lado,
Se isso puxar por ti, eu alinho no faz de conta.

ze disse...

E eu que pensava que as meninas comunicavam com as senhoras cabeleireiras através de fotografias.
Na sic mulher vejo mais os programas de culinária, mas volta e meia fixo-me nessas mudanças milagrosas que tornam as mulheres de ar triste e vulgar em verdadeiras armas de destruição maciça.
Na parte da consultadoria à cabeleireira, entram numa sala de reuniões de mesa suficientemente ampla para estender muitas revistas, num frente a frente com a especialista que a convence que (no caso dela) deve é ripar porque e também pôr umas nuances douradas porque.

Já ouvi o teu samba e quase que me senti tentado a pôr aqui a minha música preferida do Vinicius, mas
vou esperar por ter um desenho, uma fotografia ou um texto que a acompanhe
devidamente.
A Elis nem precisa, o vídeo é óptimo.

ze disse...

É os hemisférios, o direito o esquerdo, o norte e o sul,
É o dia é a noite, o verão é o inverno,
É o homem é a mulher, é a minha avó de cima e de baixo,
É o fim é o principio,
É a vida é a morte, é o pouco é o muito,
São as águas de março é o abril da chuva mil,
É o tudo é o nada,
É o branco é o preto

É a Elis que só vive com paixão

ze disse...

Observatory,

Recebo a tua visita com um misto de honra por conhecer os teus briosos blogues e posts,densos de imagens e(m) movimento e ricos no conteúdo,
Mas também uma certa vergonha por não ter casa (ainda) arrumada.
É o espelho da minha mesa de trabalho em construção,
Em percurso do raminho até ao tronco e daí até à raiz depurada e sólida de produto final.

ze disse...

Arábica,

A porta tá aberta, é só entrar.
Há o que há e não há o que não há.
Há qualquer coisa para ler e mais outra para ouvir e uns cadernos para deixar recados que estão à vista.
Não há nada para comer nem para beber talvez porque ainda não domine os rudimentos básicos da second life.
Interpretem por favor isso por ser novato nestas (e outras) andanças e não como falta de hospitalidade ou de querer.
Se eu soubesse como...

No outro dia um motor de busca indicou o al-cunha como tópico de ajuda a alguém que queria saber “como mudar de corpo no second life”.
Vá lá, tem piada!
(é verdade)
(hoje já é dia 2)

Arabica disse...

Zé,


uma das grandes poesias cantadas pela Eli, a sua voz única, o seu jeito único de estar...

Os cadernos vão-se escrevinhando, sem páginas préviamente escolhidas, com palavras de inspiração momentânea, trazidas pelas preocupações/ideias que nos navegam e que naquele instante saltam para a ribalta do papel virtual...

E os dias vão passando, é pau é pedra, é a lama é a lama, do tempo, que escorre, entre os dedos...

Mudar de corpo na first life ainda deve dar mais trabalho, assim como assim já nos habituámos aos nossos pontos fortes e já conhecemos os fracos, a rasteira será do tempo nele, a primeira queda, a primeira taquicárdia digna de registo médico, um electrocardiograma que não desvenda os mistérios das nossas aspirações e muito menos dos nossos desgostos, na linha irregular ainda assim se lê as inquietudes, as insómnias do espirito, os alertas da mente e de todos os relógios biológicos tic tac tic tac tac tic tic...

Hoje já é dia 3.


É pau é pedra.



É o fim do caminho?


Beijos e noite feliz :)

ze disse...

Arábica,

Hoje já é dia três,
E as minhas férias de prazos parece que acabaram.
O que é bom é mau, o que é mau é bom.
Ou
Cada coisa no seu sitio
De noite para dormir, de manhã para acordar.
Ciclos!
Pau para atear, pedra para partir, papel para escrever,
Ou
Um jogo (psicológico) que eu gostava de praticar chamado “papel, pedra ou tesoura”
Uma espécie de par ou ímpar com menos intervenção da sorte.

Gostava de te responder mas não consigo mais uma vez, porque deixas ai temas para dezenas de parágrafos.

Tic tac

O fim é o principio, o principio é o fim
Ou vice versa.
Ou não.
Depois vê-se
“prognósticos só no fim do jogo” como disse a sabedoria popular pela boca de um ex jogador de futebol famoso.

A noite já foi e foi uma merda a avaliar pela forma como acordei sobressaltado

Bom dia!

Arabica disse...

Zé,

acordar sobressaltado em alerta vermelho é mau.

Melhores noites virão.


E dias também. Verdes a espraiarem projectos.

ze disse...

Arábica,

não é mau é péssimo,
mau é como eu fico ao acordar.
O que vale é que é muito raro.

Melhores dias e noites para mim, para ti, para todos e para o mundo.

Arabica disse...

cOmo é esse jogo?

ze disse...

Arábica,

por gestão de tempo e porque lá está muito melhor explicado do que eu o poderia fazer, deixo-te link:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedra,_papel_e_tesoura

a única coisa que posso acrescentar, é uma citação do woody Allen que li hoje no jornal

"a realidade é uma chatice mas é o único sitio onde se pode comer um bom bife"

um bom dia

Vivian disse...

...Elis...sempre ela a nos
encantar...

águas de março fechando o verão...
aqui em terras brasileiras vem bem
a calhar...
fim das chuvas e início de um
delicioso outono...
adoro...

bjus, lindo!

ze disse...

Querida Vivian,

aqui no hemisf´rio norte, dos rico pobre,

vai dá nu memo,
contrário não deixa de ser o memo só porque caiu,

não é naõ?

beice per te!

minha mestra.

Anónimo disse...

é suposto nós não podermos comentar ali em cima?... é que eu 'tou aqui à espera, à espera...

bem, vou aguardar mais um pouco...

ze disse...

o sr(a) "Anónimo" não espere pelo que já passou!
Ou isso foi só um preâmbulo (de comentário)?

O "no comments" refere-se à minha falta de interesse em comentar esse post.
Mas cada um é livre de se manifestar aqui.

Força!
E coragem de por o seu nome,
ou imaginação para inventar uma alcunha.

Arabica disse...

Obrigada, Zé.


Fazes bem: tempo é dinheiro :)


Uma boa noite.

ze disse...

Arábica,

nem percebi exactamente o que agradeces.

No meu caso que valorizo mais o tempo (e todo o seu potencial de escolhas) do que o dinheiro (com menos potencial na minha opinião), inverteria o sentido do ditado.
dinheiro é tempo.
e um deles está-se me a esgotar.
ou os dois.

bom dia! :)

Arabica disse...

Agradeci o link.

Afinal era o jogo que já vi jogar (não sei onde, não sei quando, mas sei que era na rua) e que não percebi nada (faltavam-me os poderes e o significado de cada símbolo).

Quando ambos se esgotam há que correr de forma criteriosa.


Lembra-me um dos teus primeiros posts. Com sapatilhas.

Boa tarde :)

Beijos

ze disse...

é um jogo bem giro.
permite conhecer inter activamenteos os outros.
Ou a sua forma de pensar e agir rápido. O seu instinto.

Hei de ver os teus posts antigos, aliás foi a forma como conheci o blogue do Rui.

Não há de faltar tempo para os amigos.
Obrigado eu (pelo teu tempo de continuares a aparecer por aqui).

uma boa tarde
Beijos

ze disse...

Também se pode comentar no post de cima!

:)

Arabica disse...

Zé, não tens de quê :)



Sim, o jogo é bastante interessante e muto dinâmico.
Puro instinto.

O meu blog, ao contrário do blog do Rui, é recente, ainda não fez 6 meses, tem poucos posts que tu não conheças e, alguns deles, minimalistas.


Quanto ao no comments, no comments :)

ze disse...

:)

(parece que estou a passar por uma fase minimalista)