quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

MEME


Regras:


1- Dizem-se nove coisas aleatórias a seu respeito, não importando a relevância.
2- Seis delas são verdade e três são mentira.
3- Quem recebe o meme, deverá postar nas suas respostas as três mentiras do blogueiro.
4- Quem indicou revela depois (ou não)!
5- Não tem regras especificas para quantidade de blogueiros!


Aqui vão pois nove coisas a meu respeito, três delas são mentira:


1. Quando era pequeno, os meus pais diziam-me que como tinha nascido com o nariz tão grande não podia mentir nunca, se não quando crescesse teria que usar açaime na ponta do nariz para segurança dos outros.

2. Quando tinha quatro/cinco anos, por ser muito sossegado, costumavam deixar-me sozinho na sala nas manhãs de inverno, coberto com uma manta sobre uma mesa com braseira.
Um dia a manta ardeu, como uma boa parte da sala, enquanto eu fiquei sem reacção, choro ou gritos. E também sem queimaduras ou outras marcas físicas.
Mas essa minha atitude de passividade, fez acentuar nos outros a desconfiança sobre a minha personalidade.
O meu pai era pediatra.
No verão puseram-me no Jardim Escola.

3. A minha primeira alcunha, colocada pelo meu pai, foi "zé pistola".

4. Nasci com a membrana que segura a língua à boca, maior que o normal e por isso só consigo que ela toque o céu da boca quando a fecho.

5. O meu pé direito calça 41 e o esquerdo 43.
Uso 42, mas um pé fica torcido e o outro dança no sapato.

6. Uma vez atropelei uma mulher grávida na passadeira.
E fugi.

7. Desde que me lembro, quando vou com a minha mãe na rua e ela encontra alguém conhecido, apresenta-me como sendo seu neto e pergunta se eu não seria até bonitinho se não tivesse um nariz tão grande. E que pena que é.
Suponho que já tenha tentado outras formas de me envergonhar tanto, mas ter-se-á fixado na formula de maior sucesso.

8. Com dezassete anos fui convidado pelo meu professor de Educação Física para correr os cem metros no Campeonato distrital de juniores, mas quando lá cheguei o meu colega que calçava o mesmo número que eu não me emprestou as suas sapatilhas de tartan (não se podia correr com outras) e por isso tive que correr com umas 38, quatro números abaixo.
Corri em primeiro até metade mas acabei em último.
No fim, o meu ex-professor (já estava de férias) nem me dirigiu a palavra, de tão desiludido que estava comigo e com a sua aposta pessoal.
Mais tarde, disse-me só e secamente, que o objectivo eram os mínimos para o Campeonato Nacional de Juvenis (ainda tinha idade) que seriam disputados no mês seguinte em Lisboa, e que tinha falhado por um décimo de segundo, a unidade mais pequena que aqueles instrumentos de cronometragem são capazes de medir.
Nunca mais nos vimos.
Nunca mais me esqueci do que são cem metros.
É bem mais do que parece.
É um prova de resistência, tanto como de velocidade.
E precisa de treino, como o resto.

9. Não gosto de mudar de sapatos porque me modifica o andar.
Ando sempre com os mesmos e só depois de estarem todos rotos é que compro outros.
Iguais.



As mentiras da Carla da Cafetaria 24 horas já as denunciei no seu blogue.

Agora para passar o mem é que já fico hesitante, porque sou novato nesta atmosfera e por isso conheço muito poucos blogues e mesmo esses pode ser que não lhes apeteça.
Mas, sem querer ser supersticioso, se alguém que estiver a ler e tiver blogue, o quiser fazer eu fico agradecido e menos receoso duma trovoada em cima da minha cabeça ou qualquer outro tipo de azar que me possa vir a condicionar negativamente o futuro.

Antecipadamente, agradecido a esses.

Construção - Chico Buarque

38 comentários:

Rui disse...

Já tenho saudades de uma valente trovoada por cima da tola.

Na fresa supra, 4 palavras estão a mais.

Arabica disse...

Posso desmascarar as tuas mentiras daqui a ...sei lá...6 meses de tempo real? :)


Fico com a senha nº 2 :)

Alma Nua disse...

...ai senhor!!
rsss

quanta criatividade...rsss

bjussss

joão azulinho disse...

estávamos aqui em conluio, eu, eu e mais eu, tamborilando com os dedinhos em cima da mesa...

ouve lá zé, quem acertar tem direito a prémio?...
aqui sim, poderia entrar em inconfidências desnecessárias!
mas o mais provável seria um redondo falhanço... por vezes até os mais próximos nos surpreendem, mesmo quando julgamos conhece-los como a palma da nossa mão...

siga para escarafunchadela número dois! a primeira estava brilhante!

ze disse...

João Azulinho,

A escarafunchadela número dois virá no tempo do meu apetite, que aqui ninguém me paga para escrever, nem para pensar, nem para esgravatar, nem para nada.
Aliás cheguei a um limite em que não sou pago para nada.
O que neste momento de te responder, e neste espaço, me faz lembrar da minha terceira ou quarta alcunha, da qual és co-padrinho.
"Zuta".
Ou dito de outra forma, que a quantidade de dados disponíveis, só por si não é garantia de acerto; nem sempre os sentidos são (estão) apurados; há quem tenha mais dotes para uns tipos de exercícios e não para outros.
Ou ainda, não me parece que me conheças assim tão bem.
Em relação à adivinha, teu prémio João, quer adivinhes ou não, não é grande coisa.
É a solução.

Se te servir de consolo, tenho quase a certeza que ninguém, quer me conheça ou não, sabe identificar as três mentiras sem hesitação.
Mas podes ser sempre o primeiro tentar!
Até agora, dos três visitantes anteriores, uma elogiou o terço das mentiras, pois o restante sendo relato de história pessoal, não permite espaço à criatividade; Outra, precisa de mais seis meses. Não gosta de errar; e o primeiro nem se pronunciou sobre a adivinha.

Em relação a eventuais inconfidências (des)necessárias não me estou a lembrar de nenhuma, mas caso me esteja a esquecer de alguma coisa posso sempre eliminar comentários. Tenho essa faca na mão!
Fá-lo-hei mais facilmente se considerar uma mentira intencional e maldosa, do que por alguém resolver escrever “puta”, “merda”, “caralho”, e palavras assim.
Elas se existem é porque por vezes são necessárias.
Não tenho filhos e os que têm que tratem deles e do uso que eles fazem da informática.
Eu preocupo-me com isso depois, quando (e se) for a minha vez.

Estou seguro que no aspecto das inconfidências, dificilmente me conseguirás ultrapassar.
Mas se considerares a propósito, não te sintas inibido.

joão azulinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joão azulinho disse...

...

ze disse...

Que manifestação de ForÇa!
Estou impressionado.
Que grande faca a tua.
Imagino só o palavreado que ia para ai.
fiquei mesmo curioso

Mas não acertas-te.

rosa disse...

ó zé, desbronca-te lá e conta-nos quais as verdadeiras e quais as tretas.

sou curiosa à brava.

se te contasse os virus que já apanhei à conta disso.

isso e andar descalça.

gripe na certa.

;)

ze disse...

Tá bem, tá bem

só estava à espera que alguém disse-se alguma coisa.
Não estou a ver qual é a dificuldade, só tentei baralhar um bocadinho com os pés e os narizes, mas até dei uma de borla, a da grávida.

Talvez a menina que e mandou fazer isto disse-se alguma coisa quando viesse do carnaval.
Ou o João azulinho que não sei qual é o problema dele, se é saber demais, se é saber de menos.
Ele até a minha mãe conhece!
Deve ser saber demais.

Então vai:

ze disse...

1-Mentira.
Invenção pura, provavelmente nascida do complexo que a minha mãe graciosamente me concedeu (7) .

2-Verdade.
Hoje ao almoço perguntei à minha mãe se a sala tinha ficado muito ardida e ela disse que não, que só ardeu a mesa e um sofá.
É das poucas recordações que tenho daquela idade e tinha a ideia que as paredes tinham sido pintadas depois do incêndio.
O resto foi mesmo assim.

3-Verdade.
Comecei a falar muito tarde (mais de dois anos) em parte porque me ia safando a apontar o que queria, mas também porque era um miúdo muito sossegado e pouco exigente de atenção. Por isso deixavam-me habitualmente a brincar sozinho e como tal suponho que não terei sido suficientemente estimulado à comunicação.
Mais tarde, quando tinha seis ou sete anos, fiquei com o dedo indicador direito dividido entre os dois lados da pesada porta de entrada de casa.
A cicatrização foi rápida mas fiquei durante meses com o tique daquele dedo sempre em riste.
O que aliás ainda se mantêm um bocado.
Falo muito com a ajuda das mãos (à italiana) e com especial ênfase desse dedo.

4-Verdade.
É uma operação muito fácil de corrigir, mas nunca pensei em fazê-la.
Sou daqueles que não sabem dizer os Ls.
O que também deve ter ajudado a falar mais com as mãos.
Aprendi a disfarçar. O possível.
Os ilusionistas também vivem muito desse estratagema.

5- Mentira.
A única parte de verdade é que é o pé (joelho e perna) esquerdo que se aproxima ao ritmo da música.
Mas acho que isso é assim com a maior parte das pessoas (destras).
Trem superior direito e trem inferior esquerdo.

6- Mentira.
O que me fez lembrar disso, era a forma que eu e outro(s) colegas de Faculdade praticávamos os jogos de computador, inventando objectivos diferentes dos das regras.
Como ganhar as corridas pondo os outros carros todos no estaleiro ou inventando pontuações por atropelamento de peões, sendo que obviamente velhos, crianças e grávidas mereciam pontuações de destaque.

7- Verdade.
É horrível mas é verdade.

8. Verdade.
Se houver curiosidade nos pormenores, estão já descritos na caixa de comentários do post abaixo.

9. Verdade.
Detesto comprar roupa, em geral só gosto da que já tenho.
Calças e sapatos (botas ou sapatilhas) é o pior.
E nunca mudo de sapatos de um dia para o outro (só se houver casamento), o que dá cabo deles muito depressa, como toda a gente sabe.
Para não falar de odores, que nem de falar é agradável

Pronto(s), espero que tenha ficado ao agrado de todos,
Caso restem duvidas, é fazer o favor de contactar.

Cumprimentos

ze disse...

Ó Rosa, eu bem me parecia que me faltava alguma coisa,

A curiosidade é como o colestrol
Há a má e a muito boa.
E a boa é do melhor que há,
É uma verdadeira benção

e não costuma atrair bicharada de doenças

E andar descalço é também do que melhor que há
Mas não trás gripes a pés habituados

Smile!

joão azulinho disse...

...
o prémio era fraco e de fraco consolo! nem me dei ao trabalho. (e agora vou começar a pôr sorrizinhos no final de cada frase que escrever aqui... só para ver se não sou tratado de forma tão violenta...) portanto, um smile ;-)

mas deixei-te algum palavreado. pena que não o tenhas lido. ( sinal de que talvez não tenhas a tua caixa de correio afecta ao "al-cunha" a receber os comentários que se vão fazendo por aqui? dá um jeito do c******! (posso dizer palavrões, não posso? )) mais um smile :-)

mas se fizeres muita questão eu envio-te as singelas palavrinhas que "postei" por aqui por e-mail! e mais um sorrizinho para terminar... ;-)

joão azulinho disse...

e como não gosto de caixas de comentários com treze comentários, por ter sido futebolista quando era pequenino, deixo mais um smile... este pode ser para a tua mãe! ;-) com piscadela de olha e tudo!

ze disse...

Não contes com a minha colaboração para galanteares a minha mãe.
Põe-te em sentido!

Fazes muito bem em pôr smiles e melhor ainda em fazê-los.
Yoga também não te deve fazer mal.
E amor, muito amor!!!!

O email que lá pus é o único que uso- “jlopesdaster@gmail.com"
Não é nenhum segredo nem é coisa que entupa com facilidade.
Aliás, já recebi uma vez uma mensagem de alguém que não teria tido outra possibilidade de acesso a ele, se não pelo meu perfil de blogguer.
O que torna o que estás a dizer ainda mais estranho.
Agora, não faço questão nenhuma em receber o que escreves-te, ainda mais sem saber o quê.
Tu é que sabes o que é que me dizes ou não.
Não me fico a roer assim com esses tipos de curiosidades.
Ou melhor, passa-me muito rápido.
Tenho assim uma relação com o que não sei e não posso saber, muito desprendida.
Vê lá tu que nem leio a imprensa cor de rosa nem o jornal da terra!

ze disse...

Eu adoro o 13.
Aliás sou tão supersticioso que acho que todos os números me dão sorte.
E não só!
As cores também.
Por não ser do Porto, do Benfica ou do Sporting, não sou contra nenhuma cor.
Todas me dão sorte!
A cor do meu clube é a ausência de cor, o que me liberta desses preconceitos.
Posso escolher um isqueiro de olhos fechados, que ao abri-los digo:
É esta a cor que dará lume enquanto tiver gás.

ze disse...

E também amo o dezassete!
Um beijinho muito grande à minha sobrinha mais nova que fez três anos no último dia dezassete.
E outro à irmã mais velha dela que vai fazer cinco no próximo dia vinte e sete.
E depois de mudar de mês o meu irmão também vai fazer anos no dia sete.
E a minha mãe também desse mesmo dia a três meses.

E beijos também para quem fez no último dia treze, que tem nome que não digo mas que sabemos bem quem é.

Isto ter um blogue é espectacular!

joão azulinho disse...

"prontsshhhhhhhhhhhhh", entrou em parafuso e já só fala com os seus botões... (smiles, muitos smiles... ;-)))) e, se me permites pá, sexo, montanhas dele!

só uma coisa zé: existe, que eu sei, uma forma de configuração do "blogue", para que tudo o que seja escrito aqui, na tua "caixa de comentários", te apareça na tua "caixa de correio" de e-mail. mesmo os comentários que são depois, à posteriori, apagados por quem botou faladura e depois verificou erros e pretendeu corrigi-los. ou outra razão qualquer.
se isso interessa? não faço ideia. dá jeito, e apenas isso. mas às tantas tu até tens isso já configurado e eu deixei -e apaguei -, o comentário noutro "blogue" qualquer. distraído...

daqui por um mês e picos a minha mais "piquena", da qual és "co-padrinho", também vai crescer mais um bocadinho... junto-me à festa e mando beijinhos para as aniversariantes todas e um abraço para o teu irmão!

fico-me por aqui com os galanteios... estou em perfeito sentido... a propósito, para além de mim e do bacelar (que tem umas fotos no "blogue" dele as quais não consigo ver...), a quem mais endereçaste convites? e à tua mãe, contaste-lhe?! até achava piada, ver a senhora doutora por aqui, a desancar no filho! (mais um smile...) ;-)

e agora vou para ali, para a trincheira mais próxima, aguardar pela próxima salva...

ze disse...

Vai pró caralho!

...eu respondo-te mais tarde.

:) , que o rapaz é sensível da silva.

ze disse...

João (se é que posso simplificar),

Tou-me a marimbar para essa configuração, não me faz falta nenhuma.
Mas sim, lembro-me que quando comentava no teu blogue, vinham-me parar à caixa de correio, as mensagens que os outros escreviam.

Eu não fui chamado nem achado na escolha da miúda, por isso não sou co-padrinho.
Sou padrinho só, se é que se pode dizer assim, porque ela não é baptizada.
Seja como fôr tenho meia dúzia de folares em atraso.
E lembro-me bem como me davam jeito os do meu padrinho.

Se a festa fôr em casa da mãe vou esperar que seja ela a convidar-me se não te importares, tá bem?
E para essas coisas tens o email. Já to dei não dei? :)

ze disse...

Na altura que criei o blogue disse às pessoas (duas) que conhecia e sabia que também tinham, um deles foste tu.
Depois disso, disse a mais quatro pessoas, três delas porque veio à conversa (devem-me ter perguntado como é que eu ocupava o tempo) e a quarta porque é um amigo que vive longe e com quem eu gostaria de manter contacto, dentro do possível.

Entre estes, apenas o Zé Bacelar resolveu manifestar-se de alguma forma.
Os outros não faço a mínima ideia se cá vêm ver, se não. É com eles.

Talvez não tenha percebido bem o alcance da tua pergunta.
Será que querias saber se podias “espalhar” aos curiosos?
Se a duvida á essa, talvez seja melhor perguntares-me por email.
Uns tenho todo o gosto, outros tinha que pensar um bocado, acho eu.
Digamos que há quem não mantenha contacto comigo porque não pode e outros porque não querem. No caso destes últimos, não me apetece, de facto.

Eu sei que há por aqui das coisas mais bizarras, mas falando apenas por mim que é o que posso fazer, parece-me que faz sentido comunicar aqui com as pessoas com quem não o posso fazer de outra forma, mais privilegiada, digamos assim.

No caso da minha mãe, e como tu sabes, eu encontro-me actualmente muito perto dela.
Apesar de ter vivido quase toda a minha vida adulta longe, tenho encontrado uns intervalos de vida para a compensação.
Talvez por ser o caso agora, escreva aqui tanto dela.
Mas não é para ela, é para mim e também para quem não me conhece.

Já podes sair da trincheira,
Mas mantêm os smiles, que eu assim fico mais afável

joão azulinho disse...

zé, eu sou relativamente discreto. contudo tu deixaste a tua "pelingrafia de apresentação" em inúmeros "tascos", que, por incrível que pareça, não se transformou em calças de tatuagens...
contudo acho que isso não constitui motivo de preocupação. tens um jeito especial para tratares com quem quer que seja. mal ou bem, dependendo dos teus humores...

agora vou dar smileszzsss para outra banda, que também gosto. mas acima de tudo quero dar espaço aos restantes convivas que por aqui passam, que são também de presença e de leitura bem agradável. peço desculpas por ter te ocupado tanto tempo e tanto espaço, e a eles também...

abraço e até um dia destes! sairei da trincheira, sim, mas com um belíssimo de um capacete enterrado até às orelhas! ;-)

ze disse...

Não te preocupes muito com isso.
Eu também disse a algumas pessoas que tu tinhas um blogue.
Não vejo mal nenhum nisso.
A não ser que se trate de pessoas de quem não gosto, que sabes bem quem são. Eu também não sei disfarçar.

Não deixes de aparecer por falta de espaço que isso não é problema.
Mas se isso te libertar tempo para conhecer outros blogues, acho muito bem que o faças.
Eu pessoalmente, acho os dos que cá vêm a este, bem dignos de visita(s).

Se o capacete for para andar de moto, também acho que só te pode fazer bem.

Há dias que acordo para concordar com todos e com tudo!
É aproveitar que amanhã é outro dia.
Cumprimentos também para quem te apetecer.

Alma Nua disse...

...não vai atualizar esta casa?

andiamo via, súbitto, belo!

baci

ze disse...

Vivian,
isto é um blogue mais de comentários do que de posts!

E eu como a sua águia precisa muitas vezes de ir bicar no paredão.
Para voltar a voar mais jovem.
Espero que me perdoe.

Baci

Alma Nua disse...

...vim trazer beijos
porque adoro vê-lo
passeando em minha casa.

respeito suas palavras,
mas continua pensando
que a Europa ainda
nos surpreenderá...

vamos dar tempo ao tempo,
que é o senhor de tudo.

ze disse...

Vivian,

Eu já passeio por sua casa como um dos meus hábitos diários,
Porque você realmente nos consegue fazer pensar,
O que eu penso ser um bom hábito

Quanto à Europa, fico torcendo para voçê esteja certa e eu errado. :)
Mas tenho muito entranhada a ideia dos Novo e Velho Mundo,
Principalmente depois de ter lido dois livros de entrevistas ao Jorge Luís Borges,
Já velhinho, mais sábio e conhecedor do mundo do que nunca.

Beijos

Anónimo disse...

eu sabia as respostas certas todas. cheguei tarde ao teu blog.

um dia devias aparecer numa das duas capitais, porto ou lisboa.

sem ser de passagem por madrid.

e tambem preciso de ajuda para escolher nomes. de menina.

ora ve se descobres quem e? facil facil. hasta.

ze disse...

só temos duas capitais?
que raio de país mais pobretanas.

nunca é tarde, miúdo!

Pode ser no porto de lisboa?
vou lá dar as boas vindas ao meu saudoso Jolie Jumper.

Claro que te contacto, amor!
é já para a semana (devo ir quarta)

Abraço,

Ps- se já leste o blogue, suponho que já saibas que (já!!!) tenho email!
Tou cá um modernaço. ;)
Qualquer dia tenho twitter

Cris_do_Brasil disse...

Muito gostoso o jeitinho que escreve...
Esses Memes ´desnudam` a gente, pudemos saber que o relacionamento com a sua mae, porressemplio, nao é lá essas coisas. Que o seu nariz é grande (acho deve ser exagero, mas td bem), e seus pés, ora, seus pés resolveram ser diferente dos outros que conheço, só isso heheh

ze disse...

Obrigado Cris,
Eu também gostei do jeito da sua escrita,
De emigrante brasileira na Europa, adorando e estranhando umas coisas (aspectos de uma sociedade civilizada) e ao mesmo tempo saudosa do calor do clima e das pessoas do Brasil. Das emoções, do afecto.

O meu nariz na verdade nem é tão grande assim, mas um miúdo ganha complexos com facilidade. Penso aliás que minha mãe estava brincando também com o dela que não é muito diferente do meu.
Qualquer dia mudo a foto das calças de estimação por uma foto de perfil em contraluz para saber a opinião das minhas visitas. :)
E os pés são normais, o parágrafo que dizia que não, estava do lado das mentiras do meme.

Espero que voçê compreenda o meu português de Portugal, que é um pouco diferente do seu. Usam-se palavras que os brasileiros não usam muito, ou mesmo nada.
Também me acontece lendo português escrito por brasileiros. Por exemplo, não consegui descobrir o significado da palavra “bótemo” que voçê tem lá para classificar os seus posts.

Cris_do_Brasil disse...

Já virei sua fã, me deu toda atenção :)
Vc tem razão, viver numa sociedade civilizada, só poderia dar nisso, e nos meus textos kkkk Infelizmente o Brasil tem muito a desejar em termos de civilização, mas fazer o que, foi onde nasci!

Desculpe-me, eu uso um vocabulário um pouco ´grosseiro`, digamos, e nao 100% literário. Tenho expressões só minhas, palavras que invento (sim, invento na hora), mas creia, elas expressam o que quero dizer.

É sabido mesmo que nosso português é diferente, mesmo com a nova reforma ortográfica nao ficará igual, mas quando tiver dúvida (e eu tb) pode correr perguntar.

´Bótemo` é bom e ótimo, daí eu juntei o radical de uma palavra a outra e ficou ´botemo`, entendeu? hehe

Que boa idéia, coloque mesmo sua foto, é bom saber com quem ´conversamos` :))

ze disse...

Oi Cris,

Eu também não sei o que significa o “kkk”.

Não sei porquê voçê acha o seu texto ”grosseiro”.
Do que li até achei que te expressas muito bem.
Consegue ser eficiente na comunicação, transmitir o que pensas, que é o que interessa.

Penso que todo o emigrante sente o mesmo que tu.
A desambientação de estar numa outra cultura.
Mas brasileiro (como português e também chinês) encontra logo outros compatriotas para falar a mesma língua, falar de futebol , reproduzir a gastronomia e dançar samba no final de semana. (eu li o seu texto dizendo que brasileiro que detesta carnaval não devia ir na Áustria).
E acaba vivendo à parte dos costumes e das sociedades que os rodeiam, pensando e vivendo só para o trabalho e para poupar a grana.
Portugal será um meio termo (meia-cara?) entre o Brasil e a Europa Central (Áustria).
Ou seja, para se sentir europeu terá que ir no Brasil e para se sentir brasileiro terá que ir na Áustria.

Desculpa ter demorado muito a responder ao teu comentário, e volta sempre que quiseres “conversar”, pois eu gosto que isto seja um sítio de conversa e não (apenas) um local para escrever posts.
Gosto de ler os pensamentos do outros, mais ainda do que de escrever os meus. :)

Vou pôr uma fotografia (no cimo do meme) do meu nariz para a vossa apreciação.
Se soubesse como se faz também punha daquelas caixinhas para votação:
Grande; muito grande; esquisito mas não é pelo tamanho;...

Arabica disse...

Nem muito grande nem esquisito, Zé.

É apenas teu nariz.

Sobre o meu, que também não é invisivel :) tinha uma colega minha, que dizia: narizinho, narizinho :) nunca percebi porquê. Perguntei-lhe e ela respondeu-me, porque lhe acho graça.

ze disse...

Arábica,

Vivo muito bem com o meu nariz e restante aspecto físico.
A adolescência já passou.

Das más recordações que guardo foi ver-me ao espelho depois de ter sido operado ao nariz (adenóides), sem o penso que o cobriu durante alguns dias e não me ter identificado com aquela imagem de mim.
Como acordar de um pesadelo e ver que mudei de cara.
Não sei se foi mais de me ter desabituado de o ver ou se foi de estar inchado, mas a partir daí passei a ver as pessoas que recorrem a cirurgia estética como tendo problemas bem mais graves do que propriamente físicos.

A fotografia do nariz está aí provisoriamente em resposta a desafio de uma visita.
Sairá em breve porque inicialmente não era para estar.

Sobre o facto de te chamarem narizinho, parece-me mais a propósito de características psicológicas tuas do que propriamente físicas.
Não quer dizer que saiba quais.

Arabica disse...

Não. Tinha a ver com o meu narizinho fisico :) era "engraçado". E sábio: não se metia onde não era chamado:)

ze disse...

não tinha nada a acrescentar,
mas quem escrevo por ultimo no meu blogue sou eu.

e como não tenho mesmo nada para dizer,
fica mesmo assim!

:G

ze disse...

faltou o smile,
táva a brincar...