domingo, 31 de maio de 2009

amanhã








"today is better than tomorow"

(nome de uma música instrumental que ouvi recentemente da autoria dos ANGLES, agrupamento de jazz)








Fotografia de autoria- João Mouro,
reproduzida por mim durante a visita a um exposição que retratava uma viagem do autor ao subcontinente da Índia.

10 comentários:

Arabica disse...

Bom dia, Zé.


Então...o que é melhor?

o hoje ou o amanhã?

e o ontem já foi.

Gosto da foto.
Olhar de desafio.

Bom domingo.

Beijos

ze disse...

Arábica,

o amanhã é o incerto e hoje é o nosso espaço e tempo de intervenção.
Se muitos hojes e alguns amanhãs, entretanto já se transformaram em ontens é outro assunto.

Alem de que qualquer excesso de confiança no amanhã, poderá resvalar facilmente para um desleixar e desresponsabilizar do hoje, o que nem sequer é bom para o amanhã assim que volte a nascer o sol.

E claro,
"aquilo" que escrevo nos posts são conversas comigo próprio, (des)adequadas a cada momento.

um bom hoje para ti.

ze disse...

E ainda,

copiado descaradamente do "in foco" da Vivian,

"Amanhã fico triste...amanhã! Hoje não...hoje fico alegre! E todos os dias, por mais amargos que sejam, eu digo: Amanhã fico triste...hoje não!"

Amanhã!!! Poema encontrado na parede de um dormitório infantil do campo de Auschwitz"

Não quer dizer que tudo se possa adiar para amanhã, mas algumas coisas podem e devem ser sempre adiadas, dia após dia.
A tristeza é apenas uma delas.

Arabica disse...

Ah ah conseguindo derrotar o "guardião" e derrubar algumas paredes aqui cheguei. Mas de qualquer modo, vai este meio de comunicação a banhos, por diferentes carências, já reconhecidas e enumeradas.

Muito belas as palavras sobre a tristeza, um hino à alegria, à resistência.
Mas não fará a tristeza parte de nós? Ao adiar-mos a tristeza, não estaremos a rejeitar uma parte de nós, tão importante quanto as outras? Porquê adiá-la? Porque nos fragiliza? A minha força reside no facto de reconhecer e aceitar todas as minhas fragilidades.

E ter momentos tristes à mistura com momentos alegres, e sentindo tristeza, analisá-la,e depois, sentir uma outra coisa qualquer...

E agora, vai este "bom companheiro" ser bem acondicionado e dar uma voltinha, embora a sua utilizadora, esta mesma que escreve, se vá sentir triste, quando à noite, se vir a braços consigo própria. Lá se vingará através de outros meios de comunicação. Assim hajam cigarros :))



Um bom hoje para ti também.

Ana Paula disse...

A fotografia capta o olhar, desafia o coração, exige atenção... Fiquei a pensar na rapariga, no seu futuro, face ao presente assim exposto...

Obrigada, Ze, pela participação no meu espaço :)

ze disse...

Arábica.

Cuidado com a intensidade com que derrubas o “guardião”.
Pequenos (?( issso existe?) grandes pormenores ficam ou não para a história, consoante ou vogal cumprem a(s) sua(s) missões (ou não!)!??..§

Aquele sentimento daquelas crianças, reflectido naquele determinado “hino”, é um apelo a quem já sentiu!

Nada de nós ou de importante, importa relativizar!

Para além dos chocolates, covém não esquecer o poder dos cigarros.

(um dia melhor que o anterior)

ze disse...

Ana Paula,

(começando pelo fim)-
desculpa qualquer transtorno que a minha participação tenha causado ao seu “espaço”! :(

Ana Paula,

Não fique a pensá na “rapariga”, o futuro dela dado aquele momento e este. j´àpassou.
A fotografia é velha pra caramba!

Pense em quem está perto, começando logo por si!!
Depois dessa conquista tudo fica mais fácil.
E pra demais.

(em ditado de lua crescente)

Anónimo disse...

fotografia do Joao Mouro senao me engano, hasta.
d'ovar

ze disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ze disse...

Caro anónimo d'Ovar,

A minha primeira reacção foi responder-te que estavas enganado,
no entanto,
e após uma breve pesquisa de memória, dou-te razão.
A confusão deveu-se à proximidade temporal com que visitei, de máquina em punho ou em bolso, duas exposições diferentes sobre o mesmo tema.
Mas de facto a do joão Mouro baseava-se bastante mais no retracto humano e explorava mais a cor, pelo que é essa a hipótese mais provável.

abraço.